População de Pacaraima expulsa imigrantes. Comerciantes venezuelanos fecham as portas alegando insegurança com o retorno dos patrícios e pedem socorro ao Exército e à Guarda Nacional bolivariana

O comerciante Raimundo da Churrascaria foi gravemente ferido com várias pauladas durante o assalto a sua residência.

No último sábado, 18 de agosto/2018, os moradores de Pacaraima, cidade fronteiriça do Brasil com a Venezuela, expulsaram cerca de 1,2 mil imigrantes venezuelanos, segundo o Exército brasileiro, ou 3 mil, conforme os manifestantes. As imagens são comoventes. O estopim foi a tentativa de latrocínio cometida por quatro venezuelanos, segundo a população, contra o comerciante Raimundo da Churrascaria e sua família. Raimundo ficou gravemente ferido e foi transferido para o Hospital Geral de Roraima, em Boa Vista. O ato dos brasileiros chegou a movimentar a Guarda Nacional Venezuelana, conforme as imagens.

Com a volta dos imigrantes, os comerciantes de Santa Elena do Uairén, primeira cidade do lado venezuelano, resolveram fechar as portas por tempo indeterminado. Em áudios divulgados nas redes sociais, os comerciantes se mostram apavorados com o número de patrícios – três mil. Dizem que a situação chegou fora de controle e pedem ajuda à Guarda Nacional e ao Exército venezuelanos. Ao que se sabe, dentre os refugiados expulsos de volta, há criminosos que foram soltos devido à falta de comida nas prisões. Os imigrantes entram no Brasil sem qualquer triagem ou exigência de documentos, inclusive certidão de antecedentes criminais.

 

 

Leia maisPopulação de Pacaraima expulsa imigrantes. Comerciantes venezuelanos fecham as portas alegando insegurança com o retorno dos patrícios e pedem socorro ao Exército e à Guarda Nacional bolivariana

É hoje o lançamento do livro Recortes: Crônicas & Reflexões, do jornalista Paulo Thadeu

O jornalista Paulo Thadeu Neves lança hoje à noite o seu livro, uma seleção de artigos publicados ao longo de sua militância política.

Invasão venezuelana alarma moradores do estado de Roraima: a revolução bolivariana chega ao Brasil nos braços da esquerda tupiniquim

Depois da divulgação do vídeo Cleyton Abreu retirou o seu perfil do ar

A população do Estado de Roraima, sobretudo da capital, Boa Vista, está alarmada com os últimos registros de violência protagonizados por imigrantes venezuelanos. Na madrugada do dia 29 de julho foi preso Kevin Braden M. Serrano, venezuelano de 34 anos, depois que agrediu, física e verbalmente, porteiros e médicas da Maternidade Nossa Senhora de Nazaré. Na madrugada de domingo pra segunda, 30 de julho, um casal de venezuelanos, com o apoio de – pelo menos – 15 outros imigrantes, agrediram e feriram militares do Exército, quando tentaram entrar em um abrigo fora do horário de tolerância, sem apresentar os documentos exigidos. Ainda na noite da segunda-feira, 30 de julho, a Polícia Federal prendeu em Pacaraima, fronteira com a Venezuela, dois cubanos e dois venezuelanos por tentarem ingressar ilegalmente no Brasil.

Nos últimos dias tem circulado nas redes sociais vídeo em que um advogado, identificado como Cleyton Abreu, coordenador da ONG Serviço Jesuíta a Migrantes e RefugiadosBoa Vista, instrui e incita imigrantes venezuelanos a invasões de imóveis urbanos.

Na sexta-feira, 27 de julho, a irmã deste autor, que anda de motocicleta, foi cortada por um venezuelano de bicicleta, que não gostou e a perseguiu até em casa, proferindo impropérios, dizendo para ter cuidado, que ela era isto e aquilo… Só foi embora depois que ela, do lado de dentro do portão, jogou-lhe um tijolo. Mas agora ficou o receio de que o elemento volte – com reforços.

Leia maisInvasão venezuelana alarma moradores do estado de Roraima: a revolução bolivariana chega ao Brasil nos braços da esquerda tupiniquim

Debates em vão!

Por Sérgio Murilo

Aí, você olha
e não sabe se escuta,
você escuta
e não sabe se acredita.
Porque a história pregressa
é maculada, maldita!
E aqueles que estão iniciando
não apresentam nada diferente:
“Vou mudar o Brasil quando for presidente!”
São palavras aguerridas,
gestos contundentes,
são frases floridas,
discursos reluzentes.
Tantas promessas em vão,
tanto teatro, quiçá, comédia ou não.
Invadindo casas em horário nobre,
seja rico, seja pobre.
Talvez um drama fanfarrão,
num debate em plena televisão.
Ali, só não se vê,
a mais sublime verdade,
a expressão com seriedade,
a certeza de que se vai fazer.
Aí, você olha
com seu rosto em prantos
e percebe as dores do povo,
com seus desencantos,
com seus dissabores.
Sem horizonte, sem porto seguro,
sem veredas, sem flores.
Sem rumo, sem prumo, sem futuro.

Paulo Roberto Guedes, ministro da Fazenda de Jair Bolsonaro, esclarece a política econômica do próximo Governo

Em entrevista para Joice Hasselman, o economista Paulo Roberto Guedes, responsável pelo programa econômico do candidato Jair Bolsonaro (PSC), traça um breve perfil da falência da social-democracia no mundo ocidental, cenário no qual insere as propostas econômicas do seu candidato. Veja aqui a entrevista completa.