2018 ainda não acabou

Resultado de imagem para presidente bolsonaro em davos
Em Davos o presidente Bolsonaro fez um discurso conciso, sem malabarismos. Mais importante foi o que se encaminhou nas reuniões setoriais com a equipe de governo. Foto: divulgação.

É clichê, mas 2018 ainda não acabou. Tivemos carnaval, Copa do Mundo, eleições federais, estaduais e muitos, muitos acontecimentos entre um evento e outro. Eventos inéditos, nunca antes vistos na história deste país. O estado de Roraima não deixou a desejar: atraso nos salários dos servidores do Executivo, dívidas bilionárias, prisão do filho da governadora e membros do primeiro escalão, além de duas intervenções federais –  a primeira no sistema penitenciário e, não sendo o suficiente, a intervenção geral, com tropa militar na Fazenda e Planejamento. Por conta do esfaqueamento sofrido durante a campanha, o hoje presidente Jair Bolsonaro acaba de sofrer a terceira intervenção cirúrgica, desta vez para retirar a bolsa de colostomia.

Leia mais2018 ainda não acabou

Servidores prometem paralisar o Estado de Roraima

Sindicalistas fecham a sede da SEFAZ

Em meio a duas operações da Policia Federal, Escuridão e Tântalo, que investigam o desvio de recursos públicos no fornecimento de marmitas para os presídios, e de gêneros alimentícios da merenda escolar, respectivamente, levando às prisões, inclusive, do filho caçula da governadora Suely Campos, Guilherme Campos, e do ex-secretário adjunto das secretarias da Educação, Fazenda, Casa Civil, e atualmente adjunto do Gabinete Institucional do Palácio Senador Hélio Campos, Shiská Pereira, os servidores do Executivo entram no terceiro mês sem receber os salários e, o pior!, sem quaisquer perspectivas de receber. Alguns servidores da administração indireta, como CERR – Companhia Energética de Roraima, e ITERAIMA – Instituto de Terras de Roraima, já então entrando para quarto mês – 120 dias! – sem receber salários. Por conta disso, nesta terça-feira, 05, expressiva maioria das categorias de servidores públicos resolveram paralisar as atividades por tempo indeterminado, até que se resolva a questão salarial.

Leia maisServidores prometem paralisar o Estado de Roraima

Cortadas as luzes da SEPLAN e SEFAZ. Servidores continuam sem receber salários: o governo é um cadáver em decomposição.

Momento em que técnicos da BOVESA interrompem o fornecimento de energia da Secretaria da Fazenda

Hoje pela manhã a BOVESA interrompeu o fornecimento da energia elétrica para a SEFAZ – Secretaria de Estado da Fazenda, e SEPLAN – Secretaria de Planejamento – do Governo do Estado de Roraima, por falta de pagamento. A ação deve se estender a outros órgão do Executivo pelo mesmo motivo. Com salários em atraso, os servidores nem precisam mais decretar a greve geral. A Boa Vista Energia resolveu a parada!

A polarização da campanha presidencial tirou o foco da eleição local. Nas redes sociais o eleitor pouco se manifesta sobre a preferência por um ou outro candidato ao governo de Roraima no segundo turno. O que ainda se vê são manifestações de cabos eleitorais travestidos de formadores de opinião com postagens que não passam de fofocas de botequim. Talvez a causa seja a falta de opção e a certeza do eleitor de que, qualquer que seja o eleito, as coisas não mudarão substancialmente para a população em geral.

Se um dos candidatos já administrou o Estado e conhecemos bem o seu perfil, o outro não conseguiu empolgar e emplacar a esperança da mudança pra melhor, pois é nítido o seu comprometimento com um grupo econômico, estando longe de representar candidatura popular. Ocorre que qualquer coisa é melhor do que o governo que expira. Na verdade, já expirou. O que vemos é uma administração zumbi, movida a controle remoto.

Leia maisCortadas as luzes da SEPLAN e SEFAZ. Servidores continuam sem receber salários: o governo é um cadáver em decomposição.

Servidores fazendários se reúnem para decidir sobre falta da pagamento, e podem lacrar todos os caminhões no Posto Fiscal Jundiá para deslacre em frente ao Palácio do Governo

Os servidores fazendários reuniram-se na manhã desta sexta-feira, 19, no pátio da SEFAZ, para discutir e deliberar acerca dos salários atrasados. Dentre as propostas estão: operação padrão nos postos fiscais e na seda da Secretaria, e a fundamentação jurídica para pedido de intervenção no Governo do Estado. Outra proposta, que deve entrar em ação já neste final de semana, é lacrar todos os caminhões que passarem no Posto Fiscal Jundiá para deslacre e conferência da mercadoria aqui em Boa Vista, em frente ao Palácio Senador Hélio Campos.

Em reunião com os presidentes dos sindicato dos Fiscais de Tributos Estaduais, Jorge Teixeira, e dos Técnicos do Tesouro Estadual, Genival Mota, o novo Secretário da Fazenda, Enoque Rosas, disse que ainda pela manhã haveria uma reunião entre o Procurador Geral do Estado, Ernani Batista, o gerente do Banco do Brasil, agência Setor Público, Mário Marcos de Alcântara, e o Juiz da Vara da Fazenda Pública, Aluízio Ferreira Vieira,  para tentarem construir uma saída pro pagamento dos salários.

“Pedi ao sercretário que nos mantenha informados sobre o resultado dessa reunião, pois iríamos deliberar sobre os lacres das cargas para deslacre em frente ao Palácio do Governo, a partir deste final de semana, como forma de protesto pelo não pagamento dos salários”, informou o presidente do Sindicato dos Fiscais, Jorge Teixeira.